Documentário ‘A Gente’ lança olhar original à prisão – Folha de São Paulo

Documentário ‘A Gente’ lança olhar original à prisão – Folha de São Paulo

Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Nas narrativas sobre o universo carcerário os agentes penitenciários quase não têm espaço. Em seu primeiro longa, o roteirista e diretor baiano Aly Muritiba dá voz a eles. Mais do que isso, mostra o cotidiano desses servidores públicos “desde dentro”, pois exerceu a função durante sete anos – algo já indicado no titulo do longa.

O filme encerra a trilogia sobre a prisão, que teve o premido curta “A Fábrica” (2011), sobre as pessoas que visitam familiares presos, e “Pátio” (2013), outro curta, feito a partir da perspectiva dos detentos.

Usando técnicas do documentário e da ficção, Muritiba filmou no presídio onde trabalhou, em São José dos Pinhais, município da Grande Curitiba.

A rotina dos servidores, que tentam dar um tratamento humanizado aos presos, está marcada pela pressão constante que sofrem de seus superiores hierárquicos -que estão distantes daquela realidade e ditam procedimentos muitas vezes contraproducentes- e dos próprios presos, organizados em facções. Essa falta de apoio e de autonomia, a enorme burocracia -temas pouco conhecidos por parte do público- chamam a atenção.

Os outros problemas que os agentes enfrentam são mais divulgados, mas nem por isso menos dramáticos, como a superlotação e a falta de recursos -não há médicos nem remédios, apenas uma assistente de enfermagem para “cuidar” de quase mil presos. Até o café é racionado.

Muritiba apresenta essa dura rotina com originalidade. As autoridades que administram o presídio simplesmente não aparecem nas imagens e os presos muito pouco. Só ouvimos as vozes destes, enquanto os agentes estão permanentemente sob o olhar da câmera. Esse procedimento trabalha dramaticamente a tensão. Até os corredores e as salas em que os agentes desempenham tarefas administrativas são sufocantes.

O único respiro acontece quando vemos Jefferson Walkiu -chefe dos agentes penitenciários e figura principal do filme- convivendo com a família e atuando como pastor protestante em cultos religiosos ou conversando com fiéis.

A proximidade de Muritiba com Walkiu e sua equipe é determinante para a densidade e a força que a narrativa atinge ao descrever esse universo prestes a explodir.

Assista ao trailer de ‘A Gente’

 

FOLHA DE SÃO PAULO

OUTROS POSTS

Política de Privacidade

Termos de uso

Vagas de Emprego

FIQUE POR DENTRO DE TODAS AS NOVIDADES DA OLHAR

TUDO CERTO!

Agradecemos a sua mensagem.

Caso precise de alguma outra informação, por favor entre em contato através das nossas redes sociais.

Para você que ama cinema.

Assine nossa newsletter quinzenal e receba conteúdos exclusivos.

TUDO CERTO!

Agradecemos o seu cadastro.

Agora você faz parte de um seleto grupo que recebe as nossas notícias em primeira mão!